17 Dicas Definitivas Sobre Alimentação de Crianças

A alimentação de crianças é um tema que durante décadas vem tirando o sono de pais e profissionais da saúde e este também pode ser seu caso. Por isso, depois de extensa pesquisa reunimos as 17 dicas mais importantes sobre o que fazer e o que não fazer quando o assunto é a nutrição dos pequeninos.

Leia também: Obesidade Infantil. Descubra se você está criando um obeso.

1 – PALADAR SE EDUCA.

Uma das primeiras coisas que seu filho vai descobrir é sobre seus gostos e preferências e aos poucos irá educando seu paladar. Ao contrário de você que já possui o gosto deturpado por comidas gostosas e pouco saudáveis a criança ainda não tem suas preferências e começará a defini-las a partir dos alimentos que a ela forem oferecidos. Esqueça o que VOCÊ gosta e concentre-se no que é saudável pois a criança poderá gostar tanto de brócolis como de chocolate se ela for educada para isso.

2 – SEU FILHO NÃO VAI FICAR MAIS INTELIGENTE E SAUDÁVEL PORQUE COME MAIS.

Uma boa nutrição tem mais a ver com variedade do que com quantidade. Ficar empurrando comida para a criança não vai fazer ela crescer mais forte e saudável. Se durante as consultas ao pediatra ela apresentar-se dentro da curva de crescimento normal então está tudo bem.

3 – COMIDA NÃO É RECOMPENSA.

Devido aos desafios que envolvem a alimentação de crianças os pais tendem a usar todas as artimanhas possíveis para fazer seus rebentos comerem entretanto isso não resolve o problema e pode causar um maior ainda pois a criança esquece do objetivo pelo qual está comendo.

4 – SUCOS DE CAIXINHA NÃO SÃO NATURAIS.

Eles não são tão ruins quanto refrigerantes mas isso não significa que são saudáveis. Esqueça o apelo natural das propagandas, estes sucos contém grande quantidade de açúcar em sua composição. Atualmente alguns nutrólogos tem contraindicado inclusive sucos naturais para crianças pois mesmo estes por terem grande quantidade de frutose concentrada (açúcar natural da fruta) que também pode ser prejudicial. O ideal mesmo são as frutas pois os açúcares estão diluídos e bem distribuídos entre a água e as fibras.

5 – NÃO ADIANTA TER COISAS BOAS SE TEM COISAS RUINS.

Se você analisar uma amostra de veneno de rato verá que ele também têm proteínas, carboidratos e minerais, mas isso não faz dele saudável não é?

Este exemplo extremo serve para exemplificar um erro muito comum que os pais são induzidos a cometer através das propagandas de alimentos para crianças. Alimentos como achocolatados, iogurtes, cereais açucarados entre outros, são em sua maioria ricos em açúcar refinado, corantes, conservantes e gorduras, por isso não são saudáveis, mesmo que tenham vitaminas e minerais. Você pode oferecer as mesmas vitaminas e minerais em alimentos naturais e saudáveis.

alimentacao-dos-filhos

6 – NÃO CONFUNDA IMPORTÂNCIA COM RELEVÂNCIA.

Uma característica muito comum em adultos obesos é “pensar muito em comida” e isso pode ter origem na infância e adolescência. Pais que ficam aproveitando toda e qualquer pausa para oferecer algum alimento aos filhos podem passar-lhe a impressão que o mundo gira em torno de comida.

7 – VARIEDADE É MUITO IMPORTANTE.

Toda refeição tem que ter no mínimo as seguintes variações: Grupo alimentar (proteínas, carboidratos, …), cor (3 a 5 cores diferentes) e modo de preparo (alimentos crus x cozidos). Também não se esqueça de variar os vegetais e as frutas de uma refeição para a outra.

8 – AGIR COM NATURALIDADE AO OFERECER COISAS NOVAS.

Tem mãe que faz tanta festa para tentar fazer que o filho coma algo novo que a criança logo de cara percebe que tem algo de errado. Seja natural ao adicionar ingredientes novos e até a criança se acostumar evite até de explicar que alimento novo é aquele.

9 – TEM QUE INSISTIR.

Não é brigar, é insistir. Lembre-se do que dissemos logo no início: Paladar se educa. E educação nada mais é do que insistência.

10 – DEIXE BEM CLARO O QUE É REGRA E O QUE É EXCEÇÃO.

Os pais devem lutar para evitar que a criança tenha contato com guloseimas pelo máximo de tempo que conseguirem contudo é inevitável que mais dia ou menos dia elas irão conhecer os famigerados doces e também é natural que após conhecê-los os pequenos os queiram a toda hora. Neste momento os pais devem deixar bem claro que doces e guloseimas são exceções e serão ofertados raramente. E raramente não é um pouquinho por dia, é um pouquinho em dias bem espaçados.

alimentacao-de-criancas

11 – NÃO É A CRIANÇA QUE ESCOLHE.

A criança não tem maturidade nem conhecimento para fazer escolhas corretas e por isso é dever dos pais escolherem por elas. Mesmo que todas as opções oferecidas sejam saudáveis a criança nunca deve ser questionada sobre o que ela prefere, os pais devem ser taxativos no que ela deverá comer naquela refeição.

A criança está sendo treinada, através de uma boa educação, para que no futuro saiba fazer boas escolhas mas isso é no futuro. Pais que querem que seus filhos façam escolhas cedo demais não estão sendo “modernos” ou “descolados” estão na verdade sendo omissos no papel de educar.

12 – PREFIRA SEMPRE OS INTEGRAIS.

Ensine a criança desde cedo a preferir os alimentos integrais e crie um hábito que irá durar por toda a vida.

13 – SEM DISTRAÇÕES.

As refeições nunca devem ser feitas em frente a televisão, tablet, computador ou qualquer outra fonte de distração. Esse é um hábito que se não for prevenido desde cedo será muito difícil eliminar posteriormente.

Alimentar-se em frente a televisão por exemplo diminui a atenção ao que se come e faz a pessoa comer muito mais e mais depressa negligenciando também a mastigação.

14 – CAPRICHE NO CAFÉ DA MANHÃ.

A criança precisa de muita energia para brincar e se desenvolver corretamente por isso o café da manhã nunca pode passar em branco. Esta é certamente a refeição mais importante do dia e as crianças precisam se acostumar a comer em quantidade e qualidade pela manhã.

15 – MANEIRE NOS TEMPEROS.

Como já dissemos, evite transferir para a alimentação de seus filhos seus gostos e preferências pessoais (a menos é claro que sua alimentação seja exemplar). O paladar da criança ainda é muito sensível e neutro, ela portanto não precisa de uma comida bem temperada para comer com prazer. Acostume-a com alimentos preparados com temperos suaves e portanto sem excesso de sódio e condimentos que irritam o trato gastrointestinal.

16 – NÃO TOME CONCLUSÕES PRECIPITADAS.

O “agora já era” não deve existir em sua casa. É natural que a criança fique um pouco mais chata para comer após provar um chocolate na casa da tia mas nada está perdido. Se você não oferecer o chocolate nos dias seguintes e manter a rotina de alimentação da criança tudo voltará ao normal.

17 – SE NÃO ESTÁ A VENDA NÃO DEVE ESTAR NA VITRINE.

Uma boa educação, inclusive alimentar, deve evitar ao máximo as incoerências. Se você quer que seu filho se alimente de forma saudável e evite alimentos prejudiciais ele deverá entender que isso não é um castigo e sim um estilo de vida que será benéfico para ele. Para tal ele não pode ver as tais “comidas ruins” lotando a despensa da casa.

Lembre-se sempre, é você que coloca a comida na boca de seu filho. Os hábitos futuros dele são sua responsabilidade no presente.

Deixe um comentário

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook